quarta-feira, 18 de abril de 2012

De baixo do céu não a nada de novo!?


"Dois homens de meia idade conversam na varanda de uma casa, apreciando o por do Sol.
Um deles diz: - Quando o mundo estiver nas mãos dos jovens à civilização estará acabada. Eles não respeitam os valores tradicionais de nossos antepassados. Ele são fúteis e irresponsáveis. Só pensam em diversão e não querem nada com estudo e trabalho.
Isto meus caros, se passou na época dos gregos, a mais ou menos quinhentos anos antes de Cristo.
Então fica a pergunta; mudou alguma coisa?
Logo se pensa; de baixo do sol não a nada de novo, é tudo uma questão de tempo!

No texto, que se passa a mais de 2500 anos atrás, mostra-se algo que; apesar de antigo é tão atual quanto o próprio presente. As reclamações sempre existiram e não irão cessar antes do nosso fim. Quando chegarmos a um determinado tempo de vida, vamos acreditar que aquele tempo ainda é pior que o que vivemos hoje. Pode-se tirar exemplo de senhores em praças e rodoviárias, alimentando pombos e jogando conversa fora, geralmente sobre um tempo que não volta mais. 
A história sobre os dois homens, na sua intenção mais branda, aborda a concepção de que nada muda para o mundo e muito menos para suas gerações futuras, ainda que se tenha tecnologia, o modelo de sociedade ainda vive em moldes primários e primitivos. Imagina se dois homens de meia idade conversam um assunto abordando o mesmo tema relacionado a jovens, os seus velhos passados faziam o mesmo e é bem provável que hoje você converse esse assunto dependendo da situação temporal em que você está.
O fato de se julgar jovens irresponsáveis, crianças sem juízo e mulheres prostitutas, sempre existiu e foi um problema para ocupar a cabeça dos desocupados... O mais intrigante dentre esses julgamentos é o ponto critico totalitário da massa, que sempre foi e acredito que ainda vai ser para uma grande maioria muito mais fácil; falar sem saber e pré-julgar sem conhecer. A busca por conhecimento é longa e árdua, e ter opinião própria é uma virtude desde os tempos que o homem apenas murmurava pensamentos e não os emitia por não saber expressar seus íntimos. Não se pode estudar um molde de sociedade sem antes ter vivenciado a mesma, não é igual a cálculos, que se tem o resultado exato após se fazer inúmeras contas e rotas. Para se chegar a um único ponto que seja no mínimo favorável para todos, é preciso vivenciar esse ponto, os exemplos de democracia são recentes se comparados a reinados passados e civilizações antigas. Grupos sobreviviam mais e melhor, enquanto os que buscavam prosseguir sem amparo, automaticamente eram esquecidos, pessoas assim morreram em fogueiras ou em forcas, simplesmente pelo fato de não cederem a idéias de costumes religiosos ou políticos.
Não se tem certeza do que é bom ou ruim, sendo que esse assunto sempre foi abordado e discutido, seja por homens a milhões de anos atrás, seja por homens o discutindo daqui a milhões de anos no futuro. É como se tudo não passasse de mera perca de tempo, assuntos rotineiros apenas ocupam as cabeças vazias de quem não consegue absorver maiores irregularidades no plano social. O seu time de futebol não vai passar a vencer mais, simplesmente pelo fato da sua torcida organizada declarar violência gratuita em estádios de futebol. O seu deus não vai te perdoar pelo dinheiro a mais que você coloca na hora da oferenda e muito menos o seu chefe vai te dar aumento ou no mínimo considerações apenas por você reclamar do serviço com seus amigos na mesa de um bar. A critica é necessária, contando que seja construtiva e inteligente, sendo que essa precisa de aceitação de quem a recebe.
Os jovens não vão melhorar apenas pela conversa alheia da vizinhança na beira de uma calçada enquanto aguardam o ônibus para o trabalho, muito menos o país vai se aprimorar com criticas dirigidas à televisão em voz alta enquanto se assiste ao jornal ou a alguma novela reprisada. Normalmente se acha proveitoso falar mal do outro, mas aceita-se muito pouco a opinião alheia. O cenário que compõe o todo ainda sobrevive, mesmo depois de ter criado inúmeras espécies que o desrespeita, contudo sabe claramente que as que vivem mais são muito mais velhas que nos, meros humanos, imagina ser possível daqui a milhares de anos um nova concepção de vida, colhendo nossos fosseis e aceitando claramente que são mais evoluídos que a gente.     
Os problemas sempre vão ser discutidos, mas o melhoramento desses problemas, diga dessa maneira, não vai perdoar quem não aceitar o futuro. Homossexuais sempre existiram, quantos não caíram na Alemanha, os negros são a raça humana mais velha do planeta, a Igreja católica já foi um monopólio, as mulheres não trabalhavam há um século atrás  e os reis ainda existem. Temos muito pouco tempo de vida para aprender sobre tudo, e ainda assim, insistem em falar de assuntos tão passados e sem importância. O mundo é feito de comunicação, não há de se negar, mas o fato não é esse, é simplesmente usar esse meio para construir algo. A comunicação gerou as maiores revoluções do homem, no exato momento em que o ser humano aprendeu a expressar seus pensamentos, deu-se inicio a concepção entre bem e mal, até então se comia para sobreviver e fugia para não virar comida, como no mundo animal, se respeitava quem era maior, havia uma hierarquia, uma cadeia alimentar. Quando se emitiu o conceito de expressar os sentimentos, foi que passamos a buscar entender o conjunto, se organizamos melhor e apreendemos que nunca se vence uma guerra lutando sozinho, a partir daí, passamos só a nos comunicar, dando-se princípios para o processo de evolução social. 
A historia se analisada a fundo, é a ciência mais eficiente que existe. Tudo o que temos é registro da comunicação deixada por antepassados que buscavam o entendimento alheio, exportavam seus pensamentos para fora; com a fala e posteriormente à escrita, desde os signos estampados em cavernas milenares até blogs na internet. Tudo o que sabemos e buscamos está gravada na historia. E a historia está entre nos a bem mais tempo que a bíblia ou qualquer teoria chamada big-bang. Acredita-se entre alguns que o espaço é finito e não tem fim, e essa idéia de pensar que algo pode de fato não haver paredes ou que nunca vai acabar, é plenamente natural a nós, por isso a fantasia de uma outra vida, com os princípios humano de bem e mal, ruim e bom, preto e branco, meio e inteiro. Essa fantasia de viver no céu ou no inferno é construída pela nossa imaginação, porque pensando bem; seria frustrante não continuar, a vida é tão mágica afinal.
O ser humano que comete suicídio é um ser humano fora de todas as expectativas representadas pelas vida, pois acredita na falha e se joga no esquecimento interno. Nenhum outro animal da face terrestre comete tal irregularidade, é constante a luta pela vida, por isso precisamos acreditar em algo ou alguém que possa cuidar de tudo isso. Os deuses já foram muitos no passado; Zeus, Sol e outros da Grécia, Egito, Japão entre tantos. Jesus é uma gota no oceano do tempo e da história social. Não sou ateu, só estou me referindo a palavra criada pela Igreja Cristão, nada além disso... "A mentira repetida varias e varias vezes, passa a ser uma verdade incontestável" ...não a de se negar que não tem sentido acabar, por isso passamos a buscar um lado espiritual nas coisas, na vida. O que antes era tratado como magia pelos anciões, era de fato a medicina da época abordada pelos curandeiros, hoje é a fantástica medicina, e todos nos sabemos que os mágicos de fato não passam de charlatões, tudo se torna muito evidente quando os anos correm e entendemos pensamentos alheios, sendo que estes são apenas mensagens enviadas através da comunicação. Passamos a entender o que o próximo quer dizer, e quem não grava essa comunicação se perde no vazio do nosso eterno espaço.
A Bíblia é o livro mais contemporâneo e inteligente que se difundiu para o mundo utilizando os meios de comunicação, você acha que os escritos mais sagrados do mundo estão no Vaticano a toa, apenas pelo fato dos mesmos não se perderem no tempo. Inúmeros estudiosos lutam contra o poder da igreja em manter escritos antigos escondidos, pois se sabe que são escritos fundamentados na lei mundana e com ideologias contrarias a Igreja. A Bíblia explica tudo de forma espiritual e mágica, não se leva em consideração mais estudos e mais opiniões diferenciadas. Todos os livros que compões a Bíblia, são de assuntos relacionados ao mesmo segmento de crença. Se Jesus teve apenas 12 apóstolos, por que o livro sagrado tem 73 livros, sendo 46 do antigo testamente e 27 do novo testamento, contudo a abordagem dos temas são sempre com o mesmo objetivo de simbologia espiritual. Poderia conter em livros do antigo testamento citações dos filósofos mais influentes do pensamento humano, como Aristóteles, Sócrates entre vários outros, mas a diferença humana em estabelecer bem e mal criou-se dentro da própria igreja, sendo que essa deveria propagar só o bem, o juízo de céu e inferno é a prova concreta dessa divisão, digo isso não só as que exploram pessoas capital mente falando, onde se compra terrenos em um outro plano considerado céu , admitindo que hoje é com certeza a maioria que oferece esses serviços.
O problema sutil aos olhos sociais são os pequenos e irregulares diálogos que atingem a integridade moral de uma pessoa, uma família ou até uma comunidade, seja ela qual for; homens, mulheres e até de bissexuais. Quem gosta de ser criticado? Praticamente ninguém. Gera-se revolta interna, a aceitação de algo diferente arranha as estruturas corporais de um individuo. O grupo maior tem vantagem, até o ponto em que é preciso uma conversa, antes disso não existe acordo que faça um determinado grupo de pessoas iguais desistir, contudo é um processo lento e rigoroso. É inevitável pensar que pessoas vão aceitar ordens, nenhum animal do mundo utilizou de escravidão se não o homem, é absolutamente inviável e impossível, digo escravidão mental a qual ainda somos reféns incontestáveis. Não há de negar que absorvemos pensamentos comuns aos nossos para que tenhamos companhia e entendimento. A busca para ser aceito e passar a participar de uma comunidade é muito mais buscado do que se possa imaginar, e ainda mais intenso que isso, é a busca por tentar entender o que a nova comunidade pode oferecer aos que já tomam conta da sociedade atual. A busca por entender o que o próximo quer expressar é constante e primorosa. 
De baixo do Sol não há nada de novo, está na Bíblia e na cabeça do homem desde os tempos da roda, ou ainda muito mais atrás que isso. Não há nada de novo que não seja velho. A partir de uma expressão se pode adivinhar o que você está sentindo, nos exalamos pensamentos com os olhos. Imagine a idéia de não entender o que o próximo quer dizer, pessoas que não vêem, ainda assim conseguem participar do meio totalitário, onde alguns chegam a se tornar grandes artistas memoráveis. Existe aceitação na sociedade, enquanto que para os surdos, não há lugar algum que os mesmo possam ser encaixados, esses nem se quer conseguem uma Lei de cotas para empregos públicos, por que não seria possível emprega-los. A comunicação é essencial para se aproximar de outros e entender o que esses outros querem, sem isso, se passa só por passar, se age apenas pelo instinto. Imaginamos que poderia ser horrível não enxergar cores e formas, mas mais ruim que isso seria não entender essas cores nem essas formas.
O dialogo da história acima se passa antes de Cristo, o assunto é dialogado há 2500 anos atrás, sendo o tema discutido até os dias atuais. Pode-se concluir que as coisas sempre estiveram ruins, aos olhos sociais, mas nem por isso o mundo se acabou ou piorou. O girar da Terra é continuo e permanente, as pessoas continuaram nascendo, morrendo, praticando atos ruins e bons, como dizia Raul Seixas, em uma de suas musicas: 

"... já dizia o eclesiastes, há dois mil anos atrás, debaixo do sol não há nada de novo, não seja bobo meu rapaz..."

Nada do que se vê ou que se faça é novidade, a novidade é nova apenas para quem ainda não a conhece, contudo, ela sempre existiu. Não é por não conhecer de Leis que elas não lhe serão impostas. Não é por não ver as ondas do rádio que elas não existiam antes da gente chegar. E sendo mais atual e recíproco ao mesmo tempo... não é pelo fato de não se ter internet a 50 anos atrás que a mesma não estava aqui quando Jesus veio ao mundo. 
Não se pode imaginar o que ainda a de ser descoberto, mas em analise a palavra "descoberto", pode-se enfatizar que; tudo está coberto, e sempre esteve, aguardo apenas ser descoberto, explorado pela mente humana, se libertando assim e caindo no nosso julgamento pessoal, onde podemos concluir se a nova descoberta é boa ou ruim. Vamos continua garimpando o planeta, como disse Salomão:

“Geração vai e geração vem, mas a terra permanece sempre a mesma.
Levanta-se o sol, e põe-se o sol, e volta ao seu lugar, e nasce de novo”.

“O vento vai para o sul, e faz seu giro para o norte; volve-se e revolve-se, na sua carreira, e retorna aos seus circuitos”.

“Todos os rios correm para o mar, e nem por isso o mar se enche; (…)”.

“O que foi, é o que há de ser; o que se fez, isso se tornará a fazer. Não há nada de novo debaixo do sol”.

Em analise grosseira e reta, assim como a linha onde estudamos a Historia, sendo o maior trunfo e propagação da comunicação, o nascimento de Jesus, denominando o meio do tempo (A.C e D.C), e perpetuando até os dias atuais. Pois a conversa dos Monges acima, não está escrita em livros sagrados nem mesmo em pergaminhos perdidos no tempo, é fruto de um pensamento gravado em algum blog contido no meio de comunicação de maior amplitude já vivenciado pelo homem; a internet. Sendo que essa internet, já estava aqui bem antes da gente se dar conta que a grama do vizinho é mais verde que a nossa.

Para terminar o post, deixo a musica do Raul Seixas que tinha citado anteriormente.


Rock 'n' Roll 
 (Raul Seixas)



Há muito tempo atrás, na velha Bahia, eu imitava Little Richard e me contorcia
As pessoas se afastavam pensando, que eu tava tendo um ataque de epilepsia.

No teatro Vila Velha, velho conceito de moral
Bosta Nova pra universitário, gente fina, intelectual
Oxalá, oxum dendê oxossi de não sei o quê.


Oh, rock'n'roll, yeah, yeah, yeah, that's rock'n'roll

A carruagem foi andando e uma década depois, nego dizia que indecência era o mesmo
Feijão com arroz, eu não podia aparecer na televisão
Pois minha banda era nome de, palavrão (nome de palavrão)

E lá dentro do camarim no maior abafamento, a mulherada se chegando
Altos pratos pratos suculentos, e do meu lado um hippie punk
Me chamando de traidor do movimento

Oh, rock'n'roll, yeah, yeah, yeah, that's rock'n'roll

Alguns dizem que ele é chato, outros dizem que é banal
Já o colocam em propaganda, fundo de comercial
Mas o bicho ainda entorta minha, coluna cervical (coluna cervical)

Já dizia o eclesiastes, há dois mil atrás
Debaixo do sol não há nada novo, não seja bobo meu rapaz
Mas nunca vi Beethoven fazer, aquilo que Chuck Berry faz
Roll olver Beethoven, roll over Beethoven, roll over Beethoven,
Tell Tchaikovsky the news

E pra terminar com esse papo, eu só queria dizer
Que não importa o sotaque, e sim o jeito de fazer
Pois há muito percebi que, genival Lacerda tem a ver
com Elvis e com Jerry Lee, por aí os sinos dobram,
Isso não é tão ruim, pois se são sinos da morte
Ainda não bateram para mim, e até chegar a minha hora
Eu vou com ele até o fim

Um comentário:

Luís Coelho disse...

Um dos meus professores de latim disse um dia na aula:
- Este mundo e a nossa história é como uma circunferência. Agora estamos aqui onde já outros estiveram e todas as modas e conflitos de outros tempos irão sempre repetir-se.
Iremos circulando sempre na mesma roda da circunferência.
Um bom pensamento embora extenso.

Postar um comentário

coloque seus pensamentos para fora... comente!

Receba Atualizações

 
;