quinta-feira, 9 de maio de 2013 0 comentários

Enfrentar a vida como homem


Acordado! Olhos abertos e quase perdendo o foco, volta para si mesmo e questiona. – Será que vale a pena? Repetindo internamente, procurando saber o que lhe dava animo, por mais estranho que parecesse.  Procurava respostas e muitas delas vivam claras, mas ainda assim murmurava como seria possível; acordar cedo, se vestir as pressas, sair sempre no mesmo horário, quando não um pouco atrasado, percorrer seu trecho até o trabalho, suportar muitas vezes um ambiente hostil e desanimador, mas que ele por si só já havia está acostumado. Rindo de piadas rotineiras e mal humores escarnecidos.  Coisa que ele suporta de forma branda e comum. Às nove horas seguintes do dia seria aquilo e ponto, sem cortejo ao qualquer inflamação maior e fora das rédeas. Caramente que isso se trata de uma rotina, de forma curta e grossa, rotina. Sem maiores novidades ou surpresas agradáveis, quando não alguma desagradável é prevista e suportada para não piorar os futuros acontecimentos. Simplesmente se aceita. Se aceita porque é preciso do dinheiro que aquele ambiente lhe oferece, sem mais delongas ou conversas, é isso e ponto. É apenas o dinheiro que lhe faz pensar assim, e é difícil aceitar a primeira instancia, mas no fundo e lá no fundo você sabe que é por isso e ponto. Alguns mais filantrópicos já nascem sabendo e a grande maioria é mulher. Digo que apesar das entrelinhas, o mundo gira a favor desse combustível, capital e desigual. Primeiro se tira da terra, depois fauna e flora e ainda mais tarde de nós mesmos, para suprir que tem mais, e não é só dinheiro que conta nessas horas, quem tem mais, seja de dinheiro ou o que pude oferecer, incluindo na lista coisas sem composição material alguma. Gana, vontade, ambição e algumas outras no mesmo seguimento podem preenchem bem essa lista. Então entra a questão. O capital é o combustível, mas o que fabrica esse combustível, tirando o papel, lógico. Estou falando de um lado espiritual, intangível e sem valor numérico. Essas duas coisas juntas não funcionam ou ainda não foram solucionadas. Dinheiro + Vontade = Dinheiro, que gera mais vontade e por ai vai, pode-se dizer que é uma dizima periódica. Sem fim, infinita, longe das mãos. Enfrentar a vida como homem é um trabalho ardiloso e exaustivo que percorre a história desde registros mais antigos. Sabendo-se que no final aquilo sempre geraria uma recompensa, um retorno para matar suas necessidades, seja quais forem desde a fome até auto-realização. 

Receba Atualizações

 
;